[sc:adsense]

A europa Brasileira , a russia brasileira e porque não a USA brasileira, sim porque o cara do prison break curitibano esta a solta literalmente.

 

Pela segunda vez o preso Dionatan Mendes Quadros, 23 anos, ganhou liberdade com ajuda de outros marginais. Em 5 de setembro, quatro comparsas o arrebataram durante uma consulta no dentista, no centro de Campo Largo, e o policial Marcos Antônio Gogola foi executado com tiro na nuca. Dionatan foi preso no fim do dia, depois de ser baleado em confronto. Estava internado no Complexo Médico Penal, em Pinhais, impossibilitado de andar.

Ontem de madrugada, com o braço direito amputado e com quatro fixadores na perna, foi carregado para fora. Outros quatro presos fugiram com ele. Um retornou por vontade própria no início da tarde. Dionatan e Rodrigo Filgueira Santos foram recapturados nas proximidades do CMP, às 17h, por dois agentes que estavam indo para casa. Os presos estavam bastante sujos, pois haviam passado a noite no mato, debaixo de chuva.

Dionatan foi encontrado bastante debilitado. Ele estava internado na ala destinada aos presos com deficiência física, com outros 12. Fugiram com ele Max Cabral, Ederson Machado, Orlei Gonçalves e Rodrigo. Ederson está com uma perna fraturada, agravada por trombose. Orlei, Rodrigo e Max eram presos auxiliares, que ajudavam a cuidar dos colegas. Max, que estava há dois anos nesta função, retornou ao complexo. Ederson e Orlei continuam foragidos.

Risco

O diretor do CMP, Marcos Marcelo Müller, admitiu que a “vigilância é fragilizada” na ala onde os presos estavam. Alegou que fica em área de difícil visualização para os policiais militares que fazem a segurança. “O CMP é um hospital e não uma penitenciária como as outras. Ficamos bastante surpresos com a fuga, porque os presos dessa ala tem quadros clínicos graves e precisam de acompanhamento constante”, justificou.

[sc:adsense]