[sc:adsense]

Conheça um pouco mais dos candidatos, por ordem alfabética

Alzimara Bacellar.

A candidatura de Alzimara Bacellar lança também o PPL em Curitiba. Homologado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) em outubro de 2011, esta será a primeira eleição a que o partido fundado em 2009 concorrerá. Bacellar tem histórico em movimentos sociais ligados a garantia de direito às mulheres.
Ao explicar o que pretende para Curitiba, ela afirma que a cidade deve liderar o desenvolvimento sustentável com proteção aos trabalhadores. O planejamento da capital paranaense está entre as prioridades. O candidato à vice-prefeito é Cláudio Fajardo, que já presidiu a Fundação Cultural de Curitiba e a Biblioteca Pública do Paraná.

Avanílson Araújo (PSTU) concorreu ao governo do
estado em 2010 (Foto: Reprodução/ RPC TV).

Avanílson Araújo, candidato pelo PSTU, considera esta eleição um momento de afirmação para o partido. O slogan da campanha será “Uma Curitiba para os trabalhadores” e o projeto de governo tem como base o fim da terceirização dos serviços públicos.
Ao G1, Avanílson Araújo explicou que, se eleito, pretende rever a terceirização de serviços da saúde pública, os problemas de moradia popular e ocupações irregulares, além da melhorar e aumentar as vagas na educação. Avanílson Araújo é advogado e Mestre em Ciências Sociais. Em 2010, foi candidato ao governo do Paraná. O candidato à vice de Araújo é Beatriz de Campos.

Bruno Meirinho.

O jovem Bruno Meirinho (PSOL) é candidato pela segunda vez. A primeira candidatura foi em 2008. Meirinho resume que a campanha terá como ponto de partida a crítica à desigualdade social de Curitiba.
O objetivo, caso seja eleito, é combater a desigualdade social e proporcionar uma gestão mais democrática com a participação popular na definição de políticas públicas.
A questão do acesso à moradia também deve ser trabalhada com prioridade na campanha. A candidata à vice do PSOL, Sueli Fernandes, é professora da Universidade Federal do Paraná (UFPR).

Carlos Moraes (PRTB).

Carlos Moraes foi o último candidato a prefeito a ser definido. Formado em marketing e apresentador de televisão, ele foi indicado pelo PRTB como único candidato a vereador no “chapão” formado por PDT, PT e PV. Contudo, a ata da convenção da legenda previa que, em caso de corte do nome do candidato da lista, o PRTB o lançaria como candidato à prefeitura.
Segundo Moraes, o foco principal da campanha vai ser voltado para a tecnologia da informação à servço do poder público. Ele defende que todas as instâncias da administração pública devem ser monitoradas 100% do tempo por áudio e vídeo, de maneira que todos tenham acesso ao que é feito.

Gustavo Fruet (PDT).

O pedetista Gustavo Fruet aparece como um dos favoritos para a disputa eleitoral deste ano. Formado em Direito pela UFPR e de Doutor em Direito das Relações Sociais, Fruet já foi vereador de Curitiba, deputado federal e em 2010 concorreu a uma cadeira no Senado.
Em 2010, Fruet saiu do PSDB e se filiou ao PDT justamente para viabilizar sua candidatura, uma vez que sempre foi conhecida a predileção do partido para apoiar a candidatura de Luciano Ducci (PSB).
Para o candidato, o planejamento da cidade é essencial. A proposta de governo visa adequar as políticas pública ao crescimento do município com medidas na área de segurança, saúde e mobilidade. Fruet destaca que toda ação terá incorporada o conceito de sustentabilidade. O nome do candidato à vice ficou sob responsabilidade do PT, que indicou a advogada Mirian Gonçalves.

Luciano Ducci (PSB).

Com a máquina na mão, o candidato Luciano Ducci (PSB), que busca a reeleição, estabeleceu a coligação com o maior número de partidos. Ao todo são 15. Sem contar o apoio do governador do Paraná, Beto Richa (PSDB). A questão social será a prioridade, caso Ducci seja reeleito.
Segundo ele, os trabalhos devem ser voltados para a eliminação da miséria e para retirar as pessoas das regiões de risco social.
Depois de muitas cogitações, o PSB fechou com PPS e o deputado federal Rubens Bueno (PPS) foi definido como vice. Ducci é médico, especialista em Administração Pública, já foi secretário municipal da saúde e assumiu a prefeitura quando Beto Richa deixou o cargo para concorrer ao governo estadual.

Rafael Greca.

Após uma disputa interna, Rafael Greca foi o escolhido pelo PMDB para concorrer à prefeitura de Curitiba. Greca afirmou que, caso seja eleito, pretende tornar a cidade ecologicamente autossuficiente e também direcionar as políticas públicas para a parcela da população com menor poder aquisitivo.
O candidato, que tem o apoio do senador, Roberto Requião, afirmou que se sente feliz diante da possibilidade de poder voltar a servir a cidade. Rafael Greca é engenheiro e iniciou a vida pública como vereador. Elegeu-se deputado estadual constituinte, foi prefeito de Curitiba, ministro de Esporte e Turismo e também deputado estadual e federal. A vice da chapa será a também peemedebista, enfermeira, e militante Marinalva Gonçalves da Silva.

Ratinho Jr (PSC).

Existe muita expectativa com relação o desempenho de Ratinho Jr (PSC) na campanha eleitoral, principalmente, pelo acesso ao eleitorado com menor poder aquisitivo. Na convenção partidária que oficializou o nome de Ratinho Jr, ele destacou a independência da candidatura. Na avaliação dele, a falta de padrinhos políticos faz com que, caso seja eleito, possa montar a melhor equipe de governo.
Assim como outros candidatos, o planejamento da cidade será muito trabalhada na campanha. Ratinho Jr ganhou o apoio do ex-governador do Paraná Orlando Pessuti, que apesar de integrar o PMDB se recusa a apoiar o candidato do senador Roberto Requião. Ratinho Jr foi deputado estadual e está no segundo mandato de deputado federal. O candidato à vice-prefeito é Ricardo Mesquita.

[sc:adsense]